Nós temos duas moscas de estimação. Isso mesmo, duas moscas. Elas moram na cozinha e sempre estão a voar por lá… Minha mãe – que acha que as duas são um casal, pois sempre voam juntas – reclama com elas, dizendo que não as quer mais… mas como não sabemos falar o “mosquês”, elas continuam no zum zum delas nem aí…

A Pandora – minha canina pinscher – é quem adora essas moscas… fica correndo de um lado para o outro no sonho de um dia abocanhar uma. É tão engraçada a preparação. Imaginem a cena:

*poc poc poc poc*

Pandora vem no seu passinho curtinho de pinscher.

Óh!!!

Pandora percebe que não está sozinha.

Pandora pensa

– “Meu São Latim! Uma Mosca!”

Pandora começa a encarar a mosca:

– isso, mosquinha…fica paradinha…assim mesmo, mosquinha!

– Você está com sono…com muuuuito sono…suas asas estão pesadas…você não consegue voar…

Pandora conta:

“Umm… doooiiss… [pre pa ran do]… trêssss!”

– Aurf!

A mosca rapidamente levanta vôo, triunfante olha para Pandora e zumbe:

– BZZZ Há Há Há!!! Hipnotizei VOCÊ BZZZ!!!”

Pan, correndo e pulando atrás da mosca:

– “Ahhhh Porcaria!!! E eu ainda vou na onda da minha dona! Com essa historia de Hipnose! Sua mosca maldita!!! Um dia você verá!!!”

… até que… um dia… uma mosca foi avistada voando solitariamente na cozinha.

e Pandora com seus olhinhos caninos… nada confirmou…