(texto postado no meu antigo blog)

De repente você olha em volta e o mundo está simplesmente girando. As vozes na sua cabeça ficam desconexas e o seu corpo inteiro é tomado de um mal-estar aterrorizante. Você levanta-se, mas o torpor torna-se insuportavelmente mais intenso e a única coisa que passa pela sua cabeça é livrar-se dessa terrível sensação.

Pouco tempo depois você olha o reflexo da sua imagem no espelho e não se reconhece. Algo no seu íntimo te reprova e você sente esse julgamento como sendo um dos piores que sua consciência já te infligiu. A boca amarga, o corpo dói, a cabeça lateja… e tudo o que você deseja é dar o fora dali e submergir numa água morna e relaxante.

Você acorda no dia seguinte e amaldiçoa aquela deliciosa hora em que não escutou a “voz da experiência” que te advertia que já estava na hora de parar. Afinal, você estava sentindo-se muito bem e o principal, SÓBRIA. *sim, para quem ainda não se tocou, estamos falando de um Porre! * Uma tulipa de chopp aqui, outra ali… um comentário sobre música, shows… expectativas… lá pelas tantas – que no meu caso não são tantas assim- você já está até brindando o brinde!

O engraçado na bebedeira é que você nem sente o quanto está ficando bêbada! As pessoas vão ficando mais alegres, extrovertidas, você se sente mais desinibida, mais livre…e vai indo. A bebida tem o poder de libertar nossos desejos e demônios mais escondidos… Os efeitos e reações que uma bebedeira de respeito provoca também são uma incógnita, você nunca sabe o que vai acabar deixando transparecer… Lembro de uma experiência engraçada que uma amiga fez. Certa noite, os pais tinham viajado, e só ficou ela e uma prima em casa. Elas então compraram vodka, vinho e rum, ligaram a camera filmadora e começaram a encher a cara. O engraçado de assistir ao vídeo é ver o processo e os assuntos… no final, estavam as duas chorando e amaldiçoando todos os homens que elas ainda não encontraram na vida. A “Embriagues e Desordem”, é uma fase de descobertas na vida, essas sensações de desconexão são prioridades e o que vem depois pouco importa…

Continuo de ressaca, tomando um chazim de alguma erva que amarga pra caramba… e já decidi: Não bebo mais!… assim, ao menos tentarei… he he he

E viva a Baco!

Anúncios