Desejo é tesão
É fogo e ardor
Também é loucura
Entrega e manipulação

Desejo é paixão
Adrenalina e descoberta
Desejo é a mordida no lábio
E frio na barriga
Desejo é incêndio e seus derivados
Nada molhado, nada frio.
É sempre quente
Sempre intenso, sempre vida.

Amor não é possível para desejo
Pois DESEJO é demasiado carnal
Demasiado humano
É posse e ciúme e controle

Desejo é catástrofe
É turbilhão algoz da inocência
Foice afiada que mutila esperanças e planos
Desejo é perda
Mortes anunciadas e renascimentos
Couraças de vida, histórias e recomeços

Desejo é escrava da sensação
Do tesão, fogo, ardor e da loucura
Desejo é irmã do Sonho
E o sonho sabe que desejo não lhe permite
O amor.