entre o eu em mim e o eu
abre-se um abismo sem fim.
o eu que sente e o eu em mim
que é sentido
a dor que o eu experiência e onde
o em mim é doída.

nesse espaço que me habito
me estranho e me desconheço
onde o meu eu grita
e o eu em mim suspira
um grito cheio de vontade
um suspiro suspenso em saudade
o eu e o eu em mim
entre

deparar-se e preparar-se
olho-me e reflito-me em meus olhos
assumo meu sorriso
toco em minhas, as minhas mãos
os gritos e os suspiros ecoam
dentro de mim
Sou um ser
uno
e dual.

Anúncios