trabalho no interior do ce, com psicologia social…

essa semana q passou foi inteiramente dedicada à ‘ação cidadã’: enfermeiro, dentista, documentos, corte de cabelo e manicure em 8 distritos… vivenciei realidades diversas dentro de um município com um universo de 35 mil habitantes. Comunidades carentes onde a cooperação é a regra e outras onde a miséria é o bem-comum.

creio q não me choco pelo meu ‘zen style of life’… mas, preciso pensar nas atitudes e formas de intervenção em 2 dessas comunidades… crianças de pé descalço, cobertos de feridas, nús em pleno sol de meio dia do interior cearense. Mães alcóolatras e pais ausentes em casas sujas e vazias. Não é o vazio de bens materiais – isto é pedir demais. Mas o vazio de sentimento. Uma apatia. um viver à margem, sem objetivo, sem razão.

um caso especialmente chamou minha atenção: uma jovem mãe, com um bebê. Ela recusa-se a alimentar a criança. Um bebê de 10 meses e apenas 5 kg: desnutrido, doente. Um infanticídio gradual… nessa casa moram 3 outras crianças: nuas, feridentas, com rostos, pés e mãos imundas. A mãe, tias e avó também não são muito diferentes: sujas, descabeladas…geralmente com um cigarro na mão e algumas garrafas de bebida pelos cantos escuros da casa.

sem dúvida o céu e o inferno são aqui, na terra.

Anúncios