Tenho andando muito mãezona esses dias. Pensado e repensado a respeito da maternidade e nas implicações disso para a vida da mulher.Ser mãe, antes de ser uma mudança física e social, é uma mudança de parâmetros e valores. Ao menos, é o que se espera.

Um dia desses, minha mana me mostrou no youtube um vídeo de um garoto ‘emo’, e me perguntando: ‘thahy, como é que pode uma coisa dessas?!’ E ontem, ao sair com um casal de bons amigos nos deparamos com a seguinte questão: ‘porquê nossas mães criaram filhas fortes, que sabem se virar sozinhas e filhos dependentes emocionalmente de mulheres, que não conseguem fazer nada sem a acessoria de outra pessoa?’As meninas – em sua maioria – são estimuladas a serem bem-sucedidas financeiramente ( através dos estudos ou por meios mais sombrios) e a aprenderem a cuidar de si. Estimuladas a terem noções mínimas de como se manter uma casa, roupas, etc. Já no caso dos meninos – claro que a generalização faz-se necessária pelo assunto específico abordado – enxergo uma massa de garotões de 18 – 24 anos que são adolescentes completos, imaturos, dependentes. Que não sabem ao certo como lidar com as exigências de uma vida nova, e muitas vezes nem são obrigados a lidar, visto que muitas mães retardam esse confronto, criando-os em redomas de cuidados e ilusões materiais…Homens fracos emocionalmente, meio que perdidos em seu papel primordial e mulheres cada dia mais cientes do que precisam, de quais são as suas necessidades físicas, sexuais, emocionais…

Me pergunto que geração de pais teremos dentro de uma década… Vislumbro já algumas mudanças comportamentais: pais mais próximos dos filhos, mais bobões com o mundo de avanços tecnológicos, participantes do desenvolvimento emocional dos seus rebentos e mães um pouco mais distanciadas, talvez até mais masculinizadas… espero que não seja demais.

Anúncios