“O melhor poeta é o que entrega o pão de cada dia…a entrega da mercadoria: pão, verdade, vinho, sonhos…é uma ração de compromisso”

[Pablo Neruda – Discurso de Estocolmo, 1971.]



Um quarto de século se passou…
Para quem não sabe, hoje é o meu aniversário.Vinte e Cinco Anos…

Parece que foi ontem que estava brincando de contar histórias pros meus irmãos… me fingindo de morta e assustando o Anderson pra valer…Conversando com a Mhahy pelas madrugadas… E as amigas do colégio? Que se perderam na esquina da vida, ali no momento em que deixamos de ser adolescente para encarar a vida na faculdade…
E as amigas da facul? Que seguiram seu rumo na vida, mantendo contato por meios virtuais e reais…

E todos os meus bichos… meus livros, minhas músicas… Tudo aquilo que vivi intensamente… Cada pequena lembrança, ao menos suas sombras que me constituem aos poucos, milimetricamente… influências, gostos pessoais, jeito de ser… Minha falta de paciência, minha extrema paciência… Todos os meus sorrisos e cada lágrima… minha vida intensamente planejada, mornamente vivida… Segredos que possuo, sonhos que declamo aos quatro ventos… Blefes e anseios do passado, do presente e do futuro – que futuro me aguarda?

Que novas descobertas, mudanças… E as rugas? Preocupação com protetores, hidratantes, cremes, alimentação…logo ali, a um palmo de distância… E o meu bambino? Como o tempo vôa… antes não possuia um parâmetro para o meu amadurecimento…mas depois do meu pequerrucho, vejo como cada dia é algo novo…algo que precisa ser realmente aproveitado…

O tempo vôa, passa muito rápido. Nos resta aproveitarmos devidamente essa nossa pequena parcela de vida aqui na terra… Tanta coisa grande, bonita… que não pode ser esquecida, que deve ser devidamente sentida, compartilhada…Não sei o que o futuro me espera… sei que hoje irei dizer a cada pessoa que amo, o quanto as amo…
são elas que fazem da minha vida algo com múltiplos sentidos e sentimentos…

 

 

Anúncios