-‘Ai meu celebo’
-‘O quê, Gu?’
-‘Meu celebo, dento da minha cabeça’
-‘O q aconteceu com ele?’
-‘To pensando, ai ele doeu’


-‘Mae, se eu pensar muito sai fumaça da minha olelha?’
-‘Gu, isso só acontece em desenho’

Entro no quarto, e me deparo com tudo revirado – detalhe: meu irmão vândalo trouxe um cone não sei de onde e deu pro gu de ‘presente’ – e o bendito cone com boné e envolto num edredon.

-‘GU! QUE MARMOTA É ESSA?!’
-‘Shhhhhhh! Mae! Sileeeencciiooooo… O Tomaco* tem visita’
-‘Anham, sei… e quem é esse de boné?’
– ‘A Tia Sanca**!’

-‘E ai, Gu? Ja posso entrar?’
-‘Pode mãe, mas fala bem baixinho q o Tomaco ta com fumaça na olelha’
-‘Ahhhh, tah… e pq?’
-‘Pq a tia Sanca colocou ele de castigo’
-‘Só o Tomaco?’
-‘É, ele não se comportou na escola’
-‘Anham, seeiiii ;)’

*Tomaco é o amigo imaginário do Gu…

**Tia Sanca é a professora do Gu… dizem as más linguas que o meu pequeno vez por outra fica de castigo… Ela me contou, q estava contando um conto de fadas e o gu começou a encenar a historinha, fingindo que era o dragão… O que ela fez? Deixou o meu pequerrucho de castigo, na hora do recreio… Não sei se o gu é um pequeno baderneiro ou um gênio das artes cênicas… Sei tb q estimulo bastante isso nele, é comum encenarmos as historinhas que leio e até desenhar uma historia que ele me conta… Vou dar de presente um livrinho do Skinner chamado Walden Two pra ‘Tia Sanca’…

unf!

p.s.: segundo minha mãe, eu tb tinha amigos imaginários… não lembro deles, mas lembro que adorava brincar e conversar sozinha enquanto desenhava… E pelo visto, realmente ter um amigo imaginário nessa idade é mais comum do que pensamos… Ainda Bem!

Anúncios