Volto quebrada da academia… o corpo todo dolorido e encontro o gu com a corda toda. Dou banho, pijama, perfume. Vou então tomar o meu banho, passar os cremes (pra quê tanto creme? – me pergunto… mas pele macia é o que há😉 ) e preparo uma sopinha básica, compartilho-a com o meu guri…terminamos de assistir a ‘pucca’ e os ‘padrinhos mágicos’. Desligo a TV e o baixinho me aborda:

– mãe, conta uma história?

– da formiguinha constantina?

– é mãe.

Começo então a história… lá pelas tantas o gu á colocou uns 5 personagens adicionais, incluindo um peixe, um duende e os próprios padrinhos mágicos… Depois de uns vinte minutos contando duas histórias paralelas, finalmente o convenço a ficar quietinho para dormirmos… quando de repente, não mais do que de repente…

* cri…cri…CRI…CRI…CRI…cri..cri…*

Ahhhh meu deusss, um grilo! – penso. Fico então quietinha, torcendo para que o gu não acorde…

* cri…cri…CRI…CRI…CRI…cri..cri…*

-mãe, o que é esse baiúlho?

– é um grilo, gu.

– faz ele parar?

– xii, meu amor… vou tentar: CRI…CRI…CRI…

* cri…cri…CRI…CRI…CRI…cri..cri…*

-ihhh, gu…não adiantou não…

(…) * cri…cri…CRI…CRI…CRI…cri..cri…*

– mãe, o guilo…

– é meu amor, acho que ele tá querendo nos dizer algo

-mãaaeeee…. guilo não fala… ele faz: qui-qui-qui…

-é verdade… mamãe boba, essa… peraê que vou caçar o grilo e escrever sobre você😉

-x-

Acabei achando o bendito grilo e colocando-o para fora… maldição de bichinho, vindo fazer a corte bem na hora de dormir… aff😉

Ah, acabo me sentindo uma boba, sempre que o gu me dá essas cortadas… bah, será que vou me tornar aquela mãe bobona e palhaça, com o filho gesticulando: ‘menos mae, menos’… snifs… acho q vou precisar de uns braços bem aconchegantes pra me acolher😉