Certa vez

Me disseram:

Para trilhar este caminho adentro

é necessário cegar-se e confiar sem medo

em mim, que já conheço o caminho.

 .

Desesperei-me:

Como pode um caminho

Feito de dois já ser conhecido?

Recuei

Não quis um caminho já desbravado para mim.

 .

Ao me deparar

Com novas veredas

Selvagens desejos

E receosos anseios

Conheci-me

 .

Desvendar-se

É um longo caminho

Que não necessariamente

Dois são precisos

Sozinha – minhas dores lapidaram

 .

Transmutei-me

Mudei e reconstruí-me

Pus cada pedra em seu devido lugar

Do caminho de volta que trilhei – sozinha

Com dor, mas sem medo – aprendi.

 .

Agora do alto, olho o horizonte.

O caminho traçado nunca fora meu

As rotas são opostas, diferentes.

Olho ao redor

Tantas escolhas, estes caminhos…

 .

‘Siga-me’

Não, não o direi.

‘Vamos?’

 ‘Quantas flores e sons, este é um bom caminho’

Uma sugestão e nunca uma ordem

 .

Sentir-se bem

Confortável e sem medos

Este é o nosso verdadeiro caminho

Não confies em quem te impõe ordens e valores

Tenha coragem de mudar, de perder

 .

Perder para achar-se

Morrer para renascer

Recomeçar para errar

Errar para aprender

Aprender para perder

 .

Siga seu instinto

Aproveite a viagem

Não esperes pelos louros da chegada

Deguste cada caminho, suas bifurcações.

E decida. Sempre.

Anúncios