Tudo preparado para a surpresa que prometera.

As luzes do quarto, os ingredientes… Até o incenso que achara melhor deixar para depois. Tudo lá.

Observava-a:

Seu corpo sinuoso sibilava insinuante sob os lençóis. O olhar tão dela emitia palavras inconfessáveis ao padre ou pastor. Seus lábios e o sorriso – pecaminoso – indicavam o que desejara: O ritual.

[clique no link e continue a ler o conto ‘ o banquete ‘ ]