você está só no mundo.

apesar de toda a profusão de pessoas que te engolem no meio da multidão, apesar de todos os rostos e sorrisos e olhares, você passa e não permanece em lugar algum.

alguns olhos te sorriem, mas são tão fugazes que você nem repara. afinal: você está só.

a hora esperada aproxima-se. decides pisar na areia do mar… senta-se e não se importa ao sujar o vestido com areia salgada: você está só no mundo, e a única coisa que importa é fazer o que desejas.

por estar sozinho e em silêncio, as memórias te assolam sem perdão: ‘é a primeira vez que estou comigo: sem família, sem um amor, sem amigos’.

você olha ao redor: famílias de branco reunidas, casais de namorados trocam juras ao pé do ouvido…crianças ameaçam entrar no mar. você olha o céu estrelado, mas não tem com quem trocar aquela confidência. a angústia toma posse de você. solitude é um fardo pesado…tu bem sabes…

sozinho vive este momento passageiro. o contato com a areia do mar e o barulho das ondas… num estopim de sons, temos um coro de vozes felizes ee cantorias… mas tu és tão louco, que todo este caos te deixa em sintonia com algo mais belo, profundo e inexplicável: a tua pequenez.

os fogos começam a colorir os céus e tua única direção é adentrar o mar.

o vestido roça as águas energizantes, e por um momento você sente a necessidade de mergulhar no seu manto revolto de água e sal. aos poucos a angústia da solidão se esvai pelos teus pés, pelo teu corpo inteiro te deixando arrepios e você se sente feliz…

feliz a cada toque das ondas na tua pele…feliz por ter vivido mais um ano…feliz por não ter tido grandes perdas…feliz por poder estar ali… sozinho, consciente…em paz.

algumas pessoas adentram o mar… cantam e sorriem, mergulham…jogam rosas à iemanjá… uma onda mais forte te atinge e você sorri. não se importa de estar molhado, não se importa mais por estar sozinho… um senhor te diz: ‘deus abençoe nossas famílias’, e você só pensa: ‘amém, amém…’.

“perfeição. gratidão. renovação.”

de alma lavada, de espírito renovado tu voltas para o meio da multidão: o barulho, os olhares fugazes, a alegria massiva… tu sabes que a tua solidão não deixou de existir…ela sempre te acompanhará.

agora, porém, tu tens a certeza de que um ano inteiro te aguarda… e o lindo nisto é não saber o que existe além…

Anúncios