estava conversando com o meu querido amigo mr. wolf sobre minha vontade de estudar tanatologia, buscando uma especialização e etc, quando ele me sugere o filme: ‘the fountain’ pra assistir .

esboço de algumas conclusões que tô traçando do filme:

  1. você não assiste: você vivencia a história
  2. é um quebra-cabeça: você só compreende a mensagem quando o filme termina
  3. você sabe que o filme terminou, mas fica olhando pra tela, mastigando mentalmente todas as informações e sentimentos vivenciados.
  4. a fotografia é linda e surreal…
  5. o hugh jackman fica lindo de wolverine, de tomas, de todo jeito…

aí pensando…

acho que todo mundo que usa essas redes sociais e comunicadores instantâneos, estilo orkut e msn já sentiram [alguma vez na vida], ter encontrado alguém especial e rezado por um teletransporte…

conversando com uma pessoa especial certo dia, ela me disse que podemos chamar isso de ‘afinidade espiritual’… visto que pela distância, não podemos tocar ou olhar nos olhos da pessoa que sentimos essa afinidade, então um ‘algo a mais’ se sobressai: são as músicas que elas nos mandam, os links com textos e notícias, as imagens que nos tocam…

é uma forma totalmente atípica e nova de nos relacionarmos… um mundo novo onde as máscaras escondem reais desejos e sentimentos, e um quadro infinitamente novo se pinta: conheço pessoas que cruzam milhas e milhas para se encontrar, outras que vivenciam longos romances através da internet, outras amizades de muitos anos… regadas a carinho e atenção… e tantos reencontros propiciados por este mundo ‘virtual’ com uma vida própria tão intrigante.

eu acredito sim, que podemos encontrar pessoas que nos são mui caras aqui, neste marzão que a internet é.

mas voltando ao filme: amei ter assistido… ele me fez pensar em muitas coisas… relembrar de outras… e pensar no cara especial que vem arrancando sorrisos meus a dois meses…

então: assista ao filme, e veja por si que ele é algo que definitivamente não se explica: se vivencia.

Anúncios