estava lendo um texto, do meu querido amigo Flávio de Moura e comecei a pensar sobre a incerteza. [recomendo a leitura do texto, pra que este aqui não fiqu tãaaaooo introspectivo ^^]

então…

incertezas.

quando penso na incerteza, visualizo um lago congelado: à primeira vista, temos uma idéia do todo… entretando, não conseguimos precisar qual local é seguro e qual é arriscado de se pisar.

incertezas são ruins – eis minha opinião pessoal. Não gosto de me sentir levada por situações que não posso opinar, controlar – num certo nível. procurando ver um lado ‘bom’ na incerteza, visualizei uma semente. Sei lá, de uma flor.

uma semente que caiu de um caminhão…  e foi quicando no asfalto da estrada… e parou ali, numa fenda…naquele asfalto todo…. quando vem um vento mais forte e a leva para outra fenda, e assim passam-se dias…até que vem a chuva… e o que existe ali dentro começa a mobilizar-se, remoer-se, agitar-se…

já reparou como na estrada existem flores e plantas que brotam assim, no meio do asfalto?

incerteza x esperança…

qual a diferença entre as duas? …

certezas… será que as possuimos?… eu posso ter certeza que esta noite dormirei em minha cama… mas … algo ruim pode acontecer a qualquer minuto, então…

esperar…. eu posso esperar dormir esta noite na minha cama… é um ato passivo… o que posso fazer?… aguardar que tudo corra da forma ‘rotineira’….

incertezas… não possuir certezas… pisar neste lago congelado, correndo o risco de afundar-se nas águas geladas… ou conseguir completar o trajeto, com o coração acelerado e a adrenalina a mil…

esperança: ato de vivenciar a espera? …

[ainda bem que este é o meu diário virtual…

portanto os espaços em brancos – serão preenchidos com desenhos de espirais e estrelas, árvores e olhos… 😉 ]

Anúncios