Gosto demais, já pensei em tatuá-las… mas, depois que virou modinha desisti… mas continuo apaixonada pela delicadeza e simbolismo que elas possuem… vamos lá:

Como está escrito no Bhagavad Gita(11,29): “Como as borboletas se precipitam para a sua morte na flama brilhante, assim os homens correm para a sua perdição.”

  • Graça e ligeireza, a borboleta é, no Japão, um emblema da mulher; mas duas borboletas figuram a felicidade conjugal. Ligeireza sutil: as borboletas são espíritos viajantes; sua presença anuncia uma visita ou a morte de uma pessoa próxima. [No Japão Gente, Não se Assustem 😉 ]
  • Um outro aspecto do simbolismo da borboleta é baseado na sua metamorfose: o casulo é o ovo que contém a potencialidade do ser; a borboleta que sai dele é um símbolo de ressurreição. É ainda, se preferir, uma saída do túmulo. Um simbolismo dessa ordem é usada no mito de Psique, que é representada co asas de borboleta. E também no de Yuan-k’o, o Imortal jardineiro, a quem a bela esposa ensina o segredo dos bicho-da-seda, e que talvez seja ela própria um bicho da seda.
  • No mundo sino-vietnamita, a borboleta simboliza a longevidade e também o outono.
  • No Tochmarc Etaine ou Corte de Etain, conto irlandês do ciclo mitológico, a deusa, esposa do deus Mider e símbolo da soberania, é transformada em uma poça de água pela primeira esposa do deus, que é ciumenta. Mas dessa poça nasce, pouco tempo depois, uma lagarta, que se transforma em uma magnífica borboleta. Os deuses Mider e depois Engus a recolhem e protegem: E essa lagarta se torna em seguida uma borboleta púrpura.(…) era a mais bela que já ouve no mundo. O som de sua voz e o bater de suas asas eram mais doces que as gaitas de foles, as harpas e os cornos. Seus olhos brilhavam como pedras preciosas na obscuridade. Seu odor e seu perfume faziam passar a fome e a sede a quem quer que estivesse cerca dela. As gotículas que ela lançava de suas asas curavam todo o mal, toda doença e toda peste na casa daquele de quem ela se aproximava. O simbolismo é o da borboleta, o da alma liberta de seu invólucro carnal, como na simbologia cristã, e transformada em benfeitora e bem-aventurada.
  • Entre os astecas, a borboleta é um símbolo da alma, ou do sopro vital, que escapa da boca agonizante. Uma borboleta brincando entre flores representa a alma de um guerreiro caído nos campos de batalha. Os guerreiros mortos acompanhavam o Sol até o meio-dia; em seguida, eles descem de volta à terra sob a forma de borboletas. Todas essas interpretações decorrem provavelmente da associação da borboleta e da chama, do fato de suas cores e do bater de suas asas. Assim, o deus do fogo entre os astecas leva como emblema um peitoral chamado borboleta de obsidiana. O Sol, na Casa das Águias ou Templo dos Guerreiros, era figurado por uma borboleta.
  • Símbolo do fogo solar diurno, a borboleta é também para os mexicanos símbolo do sol negro, atravessando os mundos subterrâneos durante o seu curso noturno. É assim símbolo do fogo ctoniano oculto, ligado à noção do sacrifício, de morte e de ressureição. Na glíptica asteca, ela tornou-se um substituto da mão, como um signo do número 5, número do centro do mundo.
  • Um apólogo dos balubas e dos luluas do Kasai (Zaire Central) ilustra ao mesmo tempo a analogia alma-borboleta e a passagem do símbolo à imagem. O homem, dizem eles, segue, da vida à morte, o ciclo da borboleta: ele é, na sua infância, uma pequena lagarta, uma grande lagarta na sua maturidade; ele se transforma em crisálida na sua velhice;seu túmulo é o casulo de onde sai a sua alma que voa sob a forma de uma borboleta; a postura de ovos dessa borboleta é a expressão de sua reencarnação.
  • Uma crença popular da Antiguidade greco-romana dava igualmente à alma que deixa o corpo dos mortos a forma de uma borboleta. Nos afrescos de Pompéia, Psique é representada como uma menininha alada, semelhante a uma borboleta.

[remexendo os textos dos cds de backups 😉

adoro estudar simbologia 😉 é um dos meus passa-tempos literários favoritos ^^ ]

Anúncios