uma das coisas que me tiram do sério: quando alguém vem me dar um conselho não requisitado.

eu não gosto de conselhos, geralmente não os escuto…

agora… quando a pessoa vem para contar a sua história de vida… aquilo que a fez crescer, mudar, amadurecer… aí sim… presto atenção a cada detalhezinho… isso sim vale a pena conhecer e ouvir…

cada pessoa é um universo tão particular de pequenas conquistas e grandes quedas… como afinal, posso saber o que é o melhor pro outro…se a unica vida que conheço é a que levo? quem pode dizer que determinada mágoa, perda ou desespero não foi a peça essencial para se ser a pessoa de hoje?

assim vou moldando-me…

lembrei de uma senhora que atendi… ela não tinha grana para pagar a consulta… aí no final do atendimento, falou: você estará em minhas orações todos os dias…até o dia que nosso senhor achar que tá na minha hora de partir…

aquilo me tocou profundamente… [afinal, eu não tenho o costume de rezar]… só sei que a força das palavras daquela senhora me deram um tremilique… ah se vocês pudessem sentir a força daquele olhar…

dinheiro é essencial, claro…todos sabemos… mas esse tipo de cumplicidade e carinho dinheiro algum compra…

[afinal o que você percebe quando olha para o espelho?]

[ah, pra ser sincersa sincera… só aceito conselhos de individuos de até 7 anos de idade… pq não são conselhos… e sim opiniões… e como as crianças são verdadeiras mon’dieu!]

Anúncios