hoje faleceu um dos integrantes do meu grupo de idosos… fui visitar a família… no interior do ceará é costume velar os mortos em casa… depois o cortejo segue para a igreja… e depois para o cemitério…

mortos são… não existe uma palavra para definir a sensação.

é interessante, o senhor A. era um homem cheio de vida, engraçado, compromissado. estava afastado da ginástica, mas participava ativamente dos encontros.

vê-lo inerte me trouxe uma sensação de… paz. por mais absurdo que pareça.

não percebemos… mas, existe uma fagulha que nos anima… que nos torna aquilo que somos…

não fiquei triste…

mas senti uma necessidade imensa de passar a me despedir das pessoas… um abraço, um beijo no rosto, aperto de mãos…

afinal, não podemos ter certeza de reencontrá-las amanhã.

Anúncios