um pássaro estressado com uma adulta chata.

todo santo dia, na casa da vó, ela testava os nervos da pobre ave.

‘um dia  é da caça, outro do caçador’ – o papagaio pensou.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

– CRÁ!

– AAAINNNNN!!! RÁ! Não Foi Dessa Vez, Loro! Peeerrrdeu Preibói!

– ‘É… não foi dessa vez… Mas um dia… Ah meu São Colibri! Um dia EU Bicarei esta maldita!  MuaHahAhAha!