vc é o que come o que veste o que pensa, o que diz, o que deixa de fazer, o q compra, o que não pode comprar…

é o que deseja, o que teme… é tanta coisa, que deixa todo mundo tão confuso e cheio de coisas para pensar e se arrepender que, quando acorda já está lamentando pelo tantão de coisas que precisa correr atrás, sem nem saber ou entender o motivo.

apenas corre atrás e continua nessa loucura até o dia que, ou bate o carro, leva um tiro, morre de alguma doença ou se envenena.

é tudo agora e já. sem tempo para nada e quando se tem tempo, o que se sente?

tédio… aquele tédio grandão, preguiçoso…t é d i o aborrecido e reclamão, que incomoda, mas que te aprisiona

aí você passa horas e horas procurando reverter o tédio buscando um prazer imediatista, que vai te livrar daquela sensação ruim e incômoda, que você não sabe definir mas parece que te engole, te aprisiona e mata por dentro

só que você não percebe esse processo gradativo

um dia acorda com preguiça, no outro desmarca compromissos, aquela coisa que antes te dava o maior tesão passa a ser chato e previsível… aí vc se entope com alguma pilula da felicidade, rotulada como a tua marca de cigarros, garota/garoto fácil, bebida, comida, game, canal ou site favorito… e fica… fica… vai ficando, estacionando… até que não consegue mais voltar ao que era antes… tudo começa a ficar tão distante… parecer tão impossível…

vem a sensação de choro… de se estar perdido, sem rumo… vontade de acabar com tudo e recomeçar… mas como é que se recomeça?! se não ensinam isso em lugar nenhum… se vc não foi educado para aprender a reconhecer quem você é e o que você quer…

te recomendam uma igreja, um grupo, um psicólogo… e você até tenta, encara…mas quanta merda, deos! quanto blablablá vazio e sem sentido, vc não precisa ouvir o que já sabe, não é?! pra que gastar energia com isso…

e afunda, afunda…

o que vc come, o que você veste, no que você acredita deixa de ser você…

passa a ser algo confuso… distante… sem sentido… e você cai… cai… cada vez mais fundo… mais difícil de sair dessa…

pq afinal a depressão tornou-se a epidemia do século?!

afinal, o que está acontecendo?! pq afinal as pessoas adoeceram de uma forma tão abrupta?! pq as relações familiares estão se desfazendo?! pq tanto sofrimento pelo que se perde, pelo que não se é mais, pelo que não se tem?!

tem explicação pra isso?!

acho que… à medida que perdemos o contato com a natureza, com a nossa parcela animal da coisa, deixamos de nos reconhecer como dependentes deste planeta… passamos a nos considerar seres ‘além’, dependentes de uma vidinha artificial, consumidores de produtos artificiais…até nossa religião virou um produto de troca!

nossas relações amorosas, então?! se troca de amor como se troca de roupa… pq fulano e sicrana fazem tal coisa que d-e-t-e-s-t-a-m-o-s, e por isso existe alguém que vai ser perfeito e ideal… usamos pessoas, abusamos dos sentimentos…não nos entregamos, nos envolvemos… além de uma vida artificial, comendo coisas artificiais, passamos a nos relacionar de um modo artificial também.

aí, quando se olha no espelho… aquilo que se vê não é adequado, não é perfeito… pois não é o padrão esperado… aí se procura um médico para ter um rosto e um corpo também artificial…

isso dá jeito?

claro que não.

você só mudou a aparencia externa: aquilo que você realmente é está mascarado… e a poeira embaixo do tapete vira uma cordilheira, mais cedo ou mais tarde…

todo mundo quer ser o que deseja e esquece que desejar ser e poder ser são coisas bem distintas.

por isso acho que existe tanta gente tão deprimida no mundo atual.

[vou nem revisar este texto. escrevi da forma que pensei]

Anúncios