Quem aqui precisa de uma explicação para sentir-se bem?

Pq tantas explicações e doutrinas para explicar nossa condição neste planetinha azul?

“Para a maioria, sentir apenas não basta, tái” –me sussuram:

– Afinal, não somos animais irracionais: Sabemos que tudo tem um fim, sabemos que vamos morrer. Conhecemos as doenças, sabemos o que nos traz dor. Criamos dois sistemas básicos para nos dar o mínimo de conforto e garantia de um maior tempo de sobrevivência…

Humm… Por isso temos Religião e a Ciência? Ambas são tão parecidas… buscam explicar somente a vida, o universo… e tudo mais.

então, vamos lá:

religião…

Quando observo o conhecimento religioso, com suas explicações sobre a origem, queda e caminho do homem, sempre me pergunto quem precisa dessa explicação.

é preciso levar tudo tão ao pé da letra para acreditar?!

aliás, pq é preciso acreditar em algo?

Na realidade, quando penso em religião, lembro sempre dos meus preconceitos…

Sou preconceituosa… com os possuidores da verdade e salvação prontas… não gosto de imaginar-me como tendo que pertencer a um grupo que aceita uma explicação sem experenciar, experimentar. acredita-se pq é o correto, e não pq faz sentido… pq dá paz

não consigo compreender esta necessidade de sistemas religiosos tão punitivos, a ponto de restringir o que temos de mais humano:

  • o desejo,
  • a curiosidade,
  • o erro e o aprendizado.

sem pensar nos seguintes termos: manipulação, coerção e controle.

Nesse sistema doutrinário, pensar é proibido. conhecer-se é errado: todas as formas de auto-conhecimento foram elevadas a um nível perigoso: todos sentem muito medo.

Com uma massa que pensa e age de uma forma guiada, é fácil apontar o destino: trabalhem, não aventurem-se, pague suas contas, pague o dízimo, não faça isso, aquilo, etc.

o desejo é coisa do demônio, aprender a reagir de uma forma inteligente é sinal de anarquia, pensar por si e procurar ser quem se é, é desviar-se dos planos divinos, etc.

deve-se aceitar o que se diz mesmo aquilo não fazendo sentido íntimo algum. [falo dos religiosos xiitas, os que engolem o sistema sem mastigar, vivendo de acordo com o que o padre, pastor ou espírito diz, ao pé da letra: sem procurar mudar hábitos e atitudes, escondendo os ‘pequenos pecados’ dos amigos e polindo a máscara social, para melhor passar…]

é viver, na minha opinião de um modo esquizofrenico: viver em contradição com o que se deve demonstrar e o que se sente.

não é a toa que tantos religiosos possuem tantos conflitos internos… afinal, não é mole… viver uma luta entre necessidade biológica x comportamento social…

ciência…

um dos brinquedos mais legais que tive foi um lab. de química, uma lupa e um prisma… sempre fui fascinada pelo mundo, por entender como tudo funciona… mecanismos, sistemas… era expert em desmontar eletrônicos e não saber como remontar… hehe

então desde muito nova quis saber o pq das coisas, saber como funcionam, pq isso e aquilo. Mas hj, a ciência ensinada afasta o homem deste contato com o mundo natural. Quando abstraio e penso nela, me vem imagens de homens muito sérios e muito inteligentes, envolvidos em cálculos sem-fim e muito mal-humorados: pessoas entediantes. sem a fagulha criativa… onde algo só é definido, quando se conhece por modo experimental todas suas propriedades, origens, destinos e funções: o mundo passa a ser completamente explicado e, na minha opinião…chato. [preconceitos, mais uma vez].

Claro que, através da ciência e pelos avanços que ela nos proporciona, estamos aqui, eu e vc… neste mesmo ambiente da realidade virtual. O mundo de hj é fantástico, tão fantástico que nem nossos ancestrais mais loucões e imaginativos poderiam criar [talvez julio verne… mas aí é outra história 😉 ]

Voltando… esse oba-oba sobre o conhecimento científico e suas verdades também é um sistema coercitivo: para poder opinar, participar e produzí-lo, vc precisa ter uma série de atributos… e abrir mão de uma porção de coisas…

Infelizmente no nosso sistema educacional, a ciência não é estimulada… a curiosidade para esta realidade não é despertada nas crianças… ensina-se matemática de uma forma decoreba e assustadora… fico pensando na maravilha que seria, se a mat. repassada envolvesse filosofia, história, etc. Mas quem precisa de alunos instruidos, afinal… Se eles devem trabalhar, pagar as contas, o dízimo, sem reclamar do sistema…

É incutido em nossas cabeças que, o cientista sempre será aquela pessoa muito inteligente e viciada em estudo, que não vive e que está distante do mundo, desenvolvendo novas maravilhas sem viver uma vida humana. Cientista são elevados a um nível de deidade… [que paradoxo!] Sua palavra é lei… inabalável até que outro cientista comprove por a+b o erro.

sem falar que, também existe toda aquela história: a ciência comprovou que, é fato.

engole-se a verdade científica do mesmo modo que a religiosa, sem questionar ou raciocinar de que forma aquilo é bom ou não para nós: qual é a importância de tal descoberta para a nossa vida.

da mesma forma, somos guiados a pensar e aceitar as coisas, filtradas pela ciência… se ela diz, então é o certo. deve-se aceitar e ponto final. Quando você até tenta mostrar sua opinião, te perguntam: ‘qual é a fonte? que estudo comprova isso, isso e aquilo?’ etc, é realizada a mesma coerção exercida pela religião…

bem-estar…

sou adepta do ‘conhece-te a ti mesmo…’ é dessa forma que me sinto bem comigo mesma, com os que convivo… dou meus murros na parede e tropeço, de vez em quando… mas… ao menos me divirto com a paisagem pelo caminho.

desfruto do meio-termo entre ciência e religião… alguns talvez denomine este meio termo como magia…  Sei que não perdi – ainda, um lado meio criança de olhar o mundo com curiosidade e experimentá-lo, modificá-lo para conhecer-me cada vez mais… 😉

Mas olha… Um aviso: Pensar é e sempre foi algo muito perigoso 😉

cicuta, cruzes, fogueiras, guilhotina, tiro, etc…

quem sabe… pq quem pensa… descobre mais sobre si… aprende a silenciar… e, algumas vezes… chega perto de conhecer a vida, o universo… e tudo mais!

Metrô Linha 743 [Raul Seixas]

Anúncios