[contando a história de isís, osíris e hórus pro pequeno, antes dele dormir]

– mãe, não quero que você morra…

– todo mundo vai morrer gu…

– mas eu não quero…

– hmm, pq bebê?

– pq eu vou sentir saudade…

– ow meu amor…

– e não quero q vc seja enterrada na terra preta

– a mamys vai ser cremada, meu amor…

– o que é isso?

– ah… é quando colocam o corpo sem vida… numa fogueira… e o fogo queima tudinho… [a gente não sente… pq não está mais lá] até virar cinzas…

– hmm…

– é mais bonito… não é? melhor do que ter minhoquinhas comendo a nossa carne…búuuu…

– ecaaaa…

– pois é meu amor… aí vc vai pegar as cinzas… e elas parecem uma areia beeeem fininha… e vai jogar aos pouquinhos num rio… lembrando de como foi bom rir com a mamãe… e contando as historinhas que a gente contava um pro outro…pras outras pessoas…

– tá bom… aí eu vou lembrar de vc assim como vc lembra do seu vovô?

– eah amor! daquela forma… quando a gente escuta uma história… a gente vê, sente… ela acontecendo não é?

– é…  na minha cabeça eu vejo…

– pois então… enqto a gente contar uma história, ela continua viva… ^^ e dá aquele calorzinho gostoso no peito…

– igual quando você conta as histórias de quando eu era nenem…

– eah ^^

– mãe, quando eu morri, depois que o meteoro de gelo caiu… eu caí, caí e vim pra cá… e ganhei você…

– por isso vc é o meu anjinho da guarda, pequerruxo…

– mãe… conta o resto da história…

– tá meu pocoxo… aí, Seth…

[ crianças precisam saber a verdade sobre a morte… não adianta esconder isso delas… elas sabem, se angustiam… o medo da morte e da solidão… de estar sozinho se traduz em medo de escuro… medo de ser abandonado… sonhos em que ela se perde dos pais… o bicho-papão e por aí vai… eduquemos nossas crianças… para a única certeza da vida… ]