portanto… vou de tio bigodudo:

“expliquemos pelo contrário de que maneira diferente nós ( -digo nós por cortesia…) concebemos o problema do erro e da aparência.

Outrora a mudança,

a variação,

o vir a ser em geral,

eram considerados como provas da aparência, como sinal de que devia haver aí algo que nos extravia.

Hoje, ao contrário, vemos com exatidão até que ponto o preconceito da razão nos obriga

a fixar a unidade,

a identidade,

a duração,

a substância,

a causa,

a realidade,

o ser,

que nos envolve de algum modo no erro,

que necessita do erro,

ainda que, por consequência de uma verificação rigorosa,

tenhamos certeza de que ali está o erro.

Acontece como no movimento dos astros:

lá nossos olhos

são o advogado perpétuo do erro,

enquanto que aqui é nossa linguagem que advoga sem cessar em favor do erro.”

[crepúsculo dos ídolos – nietzsche]

Sabe

eu tenho aversão à modinhas. queria tatuar uma borboleta que desenhei, mas quando vi uma na canela da minha prima cafona, desisti.

hoje observo como o tio bigodudo virou modinha cult.

frases retiradas de alguma das 14 obras escritas… sem o contexto adequado invadem meus emails… numa conversa mais ‘profunda’, me dizem: ‘mas ele era ateu’…

p o h a . . .

nietzsche… a t e u ?! ateu como o dawkins? o randi?! o cara la que vai no superpop?!

pelamordi… mais filosofia e menos conhecimento fast-food, gente! ler nietzs. é ter sangue de barata e levar uns bofetes mui bem dados na fuça… é perceber que não se é nada, ninguém e que tem muito, muito ainda do que se livrar, perder, descarregar…

Por essa ‘purgação’ escapei direto pro crepúsculo… combina bem com o espírito masoquista da lady aqui…

maldita politicagem

malditos interesses

malditos ídolos, malditos…

ah uma bomba… tô doida pra ver shiva, dançar…

E mais

sabe pq dizem que a obra de Nietzsche só será compreendida séculos e séculos depois?!

PQ ELE TRAZ UMA MENSAGEM ESPIRITUAL PODEROSA!

E a humanidade [vou abolir essa palavra do meu dicionário… não existe uma ‘leãozade’ ou uma ‘abelhazidade’, afinal] tá muito longe disso

Nietzsche desconstrói o nosso ‘ego’, descontrói as referências que possuímos, ele joga a razão no lixo, essa artimanha do erro, do ‘nao-perfeito’ do ‘não tão bom’… reflexos somente…

para que com os caquinhos façamos um mosaico e nos tornemos UMA OBRA DE ARTE!

Única, eterna e imortal… como toda obra de cunho artístico é!

Tzzummm Zummm…

Voltemos à nossa programação normal, shall we?

[volte à programação da vida… assista suas novelas, trabalhe até morrer, reprima seus filhos dizendo: “eu nunca tive prazer na minha vida inteira, porquê você teria?!”, traia seu parceiro, sua parceira, se entorpeça… faça o que a protagonista do folhetim faz… mas olha: não faça nada… sinta preguiça, muuuita preguiça… se encha de medo, inveje… não odeie, pq odiar é pecado… e você corre o sério risco de se colocar em movimento… e não é isso que os Ídolos desejam…

Siga na fila, rumo ao abatedouro, isso… bem bonzinho… garoto bonzinho… boa menina… você terá uma recompensa no final… deos garante… eu só assino em baixo… você acredita em mim, não acredita? …

deves… ]