[devido ao comentário no post abaixo sobre umbigos, lembrei desta musica do João Bosco]

Nos dissemos
que o começo é sempre,
sempre inesquecível,
e, no entanto, meu amor, que coisa incrível,
esqueci nosso começo inesquecível.
Mas me lembro
de uma noite
sua mãe tinha saído,
me falaste de um sinal adquirido
numa queda de patins em Paquetá:
mostra… doeu?… ainda dói?…
A voz mais rouca,
e os beijos,
cometas percorrendo o céu da boca…
As lembranças
acompanham até o fim um latin lover,
que hoje morre,
sem revólver, sem ciúmes, sem remédio,
de tédio.

[umbigo… cicatrizes de estimação… sinaizinhos… detalhes do meu templo… do meu corpo … pode parecer meio estranho, mas… quando começamos a nos considerar seres sagrados… as nossas formas, os nossos detalhes passam a ser… anh, deleitados…

é engraçado e paradoxal: aqui no blog… eu escancaro sentimentos e pensamentos, mas o meu corpinho este é guardado a sete chaves…😉 ]