[Composição: Raul Seixas / Marcelo Motta]

Se você acha que tem pouca sorte
Se lhe preocupa a doença ou a morte
Se você sente receio do inferno
Do fogo eterno, de Deus, do mal
Enquanto eu sou estrela do abismo e do espaço
O que eu quero é o que eu penso e o que eu faço
Onde eu tou não há bicho papão, não

Eu vou sempre avante do nada infinito
Flamejando meu rock, meu grito
Minha espada e a guitarra na mão.

Se o que você quer em sua vida é só paz
Muitas doçuras, seu nome em cartaz
E fica arretado se o açúcar demora
E você chora, você reza, você pede, implora

Enquanto eu provo sempre o vinagre e o vinho
Eu quero é ter tentação no caminho
Pois o homem é o exercício que faz

Eu sei, sei que o mais puro gosto do mel
é apenas defeito do fel
E que a guerra produto da paz


O que eu como a prato pleno
Bem pode ser o seu veneno
Mas como vai você saber… sem tentar?

Se você acha o que eu digo fascista
Mista, simplista ou anti-socialista
Eu admito, você ta na pista

Eu sou ista, eu sou ego
Eu sou ista, eu sou ego
Eu sou egoísta, eu sou, eu sou egoísta
Eu sou, eu sou egoísta, eu sou… eu sou

Por que não?

[lóooogico que já tá na minha estação, neah?!😉 ]