1. chego de viajem em casa e vejo a árvore centenária, com mais de 3 andares de altura totalmente cortada no tronco… adeus passarinhos acordando e cantando as 5h da manhã 😦 . confesso que subi as escadas com um aperto no peito… e toda vez que entro no meu quarto, bate uma baita tristeza. incontáveis vezes ficava na janela observando o movimento daquele mundo particular: formigas, morcegos, passarinhos, coruja… tanta vida… era a árvore mais antiga do bairro… não sei como essas coisas funcionam… mas deu uma baita vontade de revidar 😦
  2. abro o blog e me deparo com um xingamento de uma desconhecida. sem pensar duas vezes, prontamente respondo.
  3. a ira sempre foi meu defeito-principal-e-nao-tao-levado-a-sério-assim. pra falar a verdade eu até gosto de ser meio irritadinha… pra ser extremamente sincera eu adoro ser bélica.

faço então uni-duni-tê na estante de livros, pego um… abro na página 123 e leio o seguinte:

“que a tua sabedoria não seja uma humilhação para o teu próximo. guarda domínio sobre ti mesmo e nunca te abandones à tua cólera. se aspiras à paz definitiva, sorri ao Destino que te fere; não firas a ninguém” [Omar Khayyam]

ok ok…

mas seu livro… é tão, mas tão difícil controlar meu ímpeto…

a vontade de vingança…

poxa… matar uma árvore com 3 andares de altura… isso não se faz 😦

ah, coloquei um poema em votação no overmundo…

clica aqui pra conferir

Anúncios