1. em 2001 a imagem que mais me marcou:
de buki iszon de teibou

2. em 2003 – invasão do Iraque e o surto-paranóico americano:

a princípio, a principal fã do mr. war

3. Desde então, a visão que tenho do ‘principal país do mundo’ é:

in god we trust: foda-se o restante.

4. 2008 – eleições presidenciais e crise econômica:

... Alguém se oferece para dirigir o país?!... Vovó?

5. mas sendo sincera… não sinto o menor remorso por associar esta placa fake com o auê vivido por lá:

obrigado pelo SEU sofrimento

Sabe porquê?

Foram OITO anos de vista grossa… de guerra sem-sentido, coerção, polêmicas, pesquisas científicas ‘censuradas’, extremismo religioso, idiotia, burrice, questões ambientais mandadas pro saco… tudo para alimentar o american dream-mor: a indústria da guerra…

Entre ‘uma linda mulher’ [com a visão hollywoodiana de ascenção social e muito consumismo] e ‘amelie poulain’ [entre o sonho e a melancolia de viver] que modo de enxergar o mundo você prefere?

Só sei que… uma  versão se aproxima da realidade vivida por pessoas comuns… a outra alimenta o dragão invisível na garagem dos 10% restantes… 😉

"o mundo é portátil, pra quem não tem nada a esconder"
Anúncios