O pequeno está com quase cinco anos! Meu deos como esse tempo voa!

Ele já compreende uma porção de coisas sobre o mundo q o cerca, já tem aquele olhar que demonstra uma tristeza reflexiva. . . Putz, e como é gostoso perceber o cheiro dele mudando com o passar do tempo. Quem tem filho sabe: criança recém nascida tem um cheiro próprio, gostoso. parece um eterno cheiro de sabonete de lavanda [talvez por isso gostamos tanto do cheiro de  carro novo ou de boneca nova, recém tirada da caixa] sei lá.

Só sei que dô cada xêro [xêro grafado assim mesmo,  coisa de cearense😉 ] forte na minha cria, que o coração chega bate acelerado… Resquício, né?  Puro instinto de bicho, pra arquivar na memória o cheiro dele . . .

O mais legal de ter um filho é reviver coisas marcantes da nossa própria vida. Ele – assim como eu – ama ler… adora o clima de banca de revista, a tentação de levar tudo pra casa… lembrei na hora de um fato marcante na minha vidinha… E como a proposta blogalítica de hoje é:

Vou contar o causo da banca de revistas:

Quando eu era pequena – 1.6m de altura é a altura média da brasileira, ok? – tendo por volta de 4, 5 anos meu pai pediu que eu fosse pegar uma revista na portaria do prédio… prometeu que me daria um chocolate, se eu fizesse esse favor!

– pensando agora…meu pai era muito sem noção

Só que, todo domingo, antes de irmos à praia, o passeio até a banca de revistas a três quarteirões do prédio, era sagrado. Como uma boa filha – e motivada pelo chocolate Lolo [É o Novo!] passei direto pela portaria – acho q o porteiro nem me viu… [tão ágil e esperta…hehe] – e fui direto para a banca…

Atravessei ruas, vi pessoas suspeitas, colhi florzinhas vermelhas no muro de uma loja de carros… coisas que toda criança faz, né? Tava até curtindo o passeio, nunca tinho ido lá sozinha, sempre tinha que segurar na mão do meu pai… Lembro que fiquei um tempão olhando uma pedra rosa que tinha em um dos jardins tão linda ela…

Bom, voltando à história: Quando cheguei na banca, o Seu Amaury me olhou com uma cara de espanto tão grande, foi logo tremendo e dizendo:

– Menina! O QUE TU TÁ FAZENDO AQUI?! CADÊ TEU PAI?!
– vim pegar a revista, ele pediu

Hehe… lembro que ele engasgou com alguma coisa, e pouco tempo depois meu pai apareceu, morrendo de achar graça… Ganhei um monte de revistinhas da mônica e outras de atividades, tava toda contente, contando pra ele como tinha sido a aventura!

Entretando, ao chegar em casa, minha mãe com a cara inchada, agarrada a uma imagem de nossa senhora exclama: ‘MINHA FILHAAAA!!!! BUÁAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!! VOCÊ PODERIA TER MORRRIDDDOOO!!!! BUÁAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!!’ E me sacodia toda, e chorava, abraçava, brigava…

Ganhei o Lolo, afinal meu pai é homem de palavra… mas também ganhei 10 anos, tendo receio de atravessar ruas sozinhas…

Para concluir, estava voltando de viagem com meu ex…e quando passamos em frente à banca, falei em alto e bom som: ‘OLHA! Teve uma vez que fui naquela banca só de calcinha!’
Esse homem me olhou com uma cara: ‘Tái, fala baixo! isso é coisa que se diga?!’

Bom, o povo me olhou com uma cara… uns de surpresa, outros com aquele olhar malicioso… hahaha

aiai, o que eu não faço por um chocolate…

hehe… ai ai … Ah, curtam o dia com a criançada! E quem não tem, ou não gosta, vá ler um gibi da turminha ou colorir algo pela net, vá vá vá!

Gostei, tinha allstar de tantas cores… o que mais curtia era o amarelo… pô,  baladeira… adorava atirar caroço de feijão no meu irmão… hehe Pra completar a lista só faltou o microfone da xuxa, o óculos- canudo do chaves… a coleção de miniaturas da coca-cola, com direito a engradado… era doida pra abrir uma… ai ai, tempos bons!